Introdução Dr. Edino Krieger Presidente da Academia Brasileira de Música O   projeto   Poesia&Música   –   Sonoridades   Brasileiras    é   uma   das   mais belas,     sensíveis     e     eficazes     iniciativas     para     a     incrementação     do repertório   vocal   e   para   a   divulgação   da   cultura   brasileira   de   que   tenho conhecimento   em   minha   longa   trajetória   profissional.   O   propósito   de estabelecimento   de   uma   ponte   cultural   entre   continentes   através   da poesia   e   da   música   não   é   certamente   único,   porém   quem   vivenciar   o trabalho   que   ora   apresento,   saberá   com   que   bom   gosto,   elegância, sensibilidade   e   competência   é   realizado.   Além   do   mais,   é   inusitada   a prática   de   dar   sistematicamente   à   composição   textos   de   poetas   de outras     línguas,     no     seu     original,     a     compositores     do     outro     país participante    do    mesmo    projeto.    Assim    brasileiros    musicam    poesia alemã   e   mesmo   poesia   brasileira,   recriada   em   alemão,   e   compositores radicados na Alemanha compõem sobre obras de poetas brasileiros. O   tema   do   projeto   neste   ano    é   a   Amazônia   –   não   a   mítica,   não   o viveiro    exótico    de    fantasias    aventureiras,    mas    a    Amazônia    aviltada pela   ganância   e   inconsciência,   e   no   entanto   soberana,   plena   de   força telúrica   e   de   mistérios,   ainda   a   esperança   de   redenção   do   mundo civilizado.   Não   creio   ser   necessário   estenderme   sobre   a   problemática que   o   tema   expõe,   pois   os   textos   musicados   neste   programa   e   que estão    inclusos    neste    caderno    já    exploram    a    questão    de    maneira inexcedível,    tanto    maior    é    o    mérito    e    excelência    da    escolha    e organização dos elementos selecionados para sua composição. No   ano   passado     tive   a   honra   e   a   felicidade   de   participar   da   série   Poesia&Música     e   de   estar   presente,   na   Alemanha,   à   estréia   do projeto   mundo   mundo   vasto   mundo  ,   que   apresentou   um   ciclo   de   canções   minhas   em   primeira   audição   mundial.   Nesta   ocasião foi   para   mim   um   prêmio   de   valor   imenso   conhecer   o   trabalho   de   dois   artistas   brasileiros,   que   além   que   excelentes   intérpretes são   dois   verdadeiros   apóstolos   da   música   em   geral   e   da   brasileira   em   particular:   o   cantor     Renato   Mismetti   e      pianista Maximiliano   de   Brito  ,   aos   quais   merecidamente   os   compositores   dedicaram   todas   as   obras   compostas   para   este   programa.   É hercúleo   o   desempenho   deles,   não   somente   no   que   toca   à   concepção   e   à   realização   deste   projeto,   à   frente   de   dezenas   de colaboradores,   mas   sobretudo   no   que   toca   à   interpretação   de   um   programa   tão   multifacetado,   denso   e   mesmo   desafiador comoque vivenciei no concerto de abertura da série de 2002. Neste   ano   o   Duo   que   idealiza   e   aplica   toda   a   força   impulsionadora   para   a   realização   de   Sonoridades   Brasileiras   se   enriquece com   a   participação   de   mais   três   musicistas   de   calibre:   a   flautista   norte-americana   Carin   Levine  ,   a   violoncelista   alemã   Cordula Rohde      e    a    percussionista    brasileira    Cláudia    Sgarbi  ,    provando    que    o    projeto    cresce    e    avança,    angariando    cada    vez    mais reconhecimento   e   admiração   de   todos   que   têm   contato   com   ele.   Seu   propósito   é   mesmo   o   de   ampliar   seu   círculo   de   atuação   e de   participação   em   todos   os   campos   da   arte   e   do   estudo   dela,   conquistando   sempre   mais   artistas,   estudiosos   das   artes   e   um público   interessado   em   novas   descobertas   assim   como   no   cultivo   de   um   mundo   sensível   que,   como   a   Amazônia,   encontra-se cada vez mais ameaçado e massacrado. A    descoberta    de    poetas    desconhecidos ,    homenagens    a    poetas    “de    ponta”,    seleções    procedentes    e    criteriosas    de    textos, estabelecimento    de    uma    dramaturgia    equilibrada,    contatos    e    aliciamento    dos    compositores    mais    representativos    da    música contemporânea,   bem   como   de   estudiosos   de   literatura   e   tradutores   literários,   é   realmente   um   ato   de   bravura   dos   dois   artistas brasileiros   criadores   deste   projeto,   ainda   mais   que   o   fazem   no   âmbito   de   uma   pequena   Instituição   privada,   sem   fins   lucrativos   e baseada   no   trabalho   voluntário   de   pessoas   preocupadas   com   os   destinos   “espirituais”   de   nossa   sociedade   global   cada   vez   mais “embrutecida”. Devo   parabenizar     a   Fundação   Apollon   por   este   empreendimento   idealista   e   que,   sem   dúvida,   está   contribuindo   de   maneira eficaz   para   um   intercâmbio   criativo   e   promissor   entre   artistas,   público   e   arte,   e   de   tão   distantes   círculos   culturais.   Esta   iniciativa é   admirável   também   como   instrumento   para   um   maior   entendimento   entre   diferentes   povos,   mentalidades,   linguagens   e sentimentos – justamente hoje em dia, quando se fala tanto de “globalismo”, porém sem imperialismo. Desejo,   finalmente,   a   todos   um   prazer   enorme   nesta   que   certamente   será   uma   grande,   instigante   e   enriquecedora   aventura poético-musical, guiados por mãos sensíveis, competentes e ousadas.